25
Publicado por Diéfani Favareto Piovezan | 0 comentários

Retirado do Blog Antigo:

 

 

Como eu havia prometido eu fiz uma pequena entrevista com a minha captionista e vou postar hoje pra vocês.

Francesca

 

O nome da entrevistada é Francesca DiBella, ela irá completar 42 anos em agosto. Fran (como prefere ser chamada) trabalha com estenografia há 20 anos, mas esse é o seu sexto trabalhando como CART reporter  ( é como eles chamam o  Captionista para surdos e pessoas com problemas de aprendizagem. )

 

Igualmente Diferentes: Para se tornar relator ( esse é o termo correto pra captionista “vice”?) , você precisa de alguma formação acadêmica especifica? Faculdade, curso técnico? Quanto tempo demorou o seu treinamento até que você pudesse trabalhar?

Fran: Para se tornar um relator CART repórter ( prefiro esse termo porque relator é muito feinho CART repórter é mais chique ), você tem que treinar como relator de tribunais. Se você irá receber um diploma ou certificado isso depende de em qual escola você vai. Aqui no nordeste dos EUA, escolas técnicas oferecem um certificado quando se consegue atingir a meta de 225 palavras por minuto. Há também faculdade na Florida e Colorado que oferecem diplomas. Eu terminei a escola em um ano e meio. Eu sei de pessoas que precisaram de cinco anos e pessoas que precisaram somente de 9 meses. Esses curso tem uma grande taxa de abandono, se não estiver errada a taxa de abandono é de 85%. ( uxi é alta hein?)

Igualmente Diferentes: Quais são suas condições de trabalho? Quantas horas você trabalha por dia/ semana? Você está feliz com o seu salário? ( Não perguntei quanto ela ganha não viu gente?Isso seria anti ético)

Fran: Eu trabalho em todos os tipos de locais com horários variados. Eu trabalho em faculdade, reunião de negócios, consultórios médicos, escritórios de advocacia, tribunais e igrejas. Eu relato reuniões de negócios para grandes companhias por causa de um ou dois empregados que são surdos ou deficientes auditivos. Eu relato colações de grau/ formaturas porque o avô/ avó ficaram surdos por causa da idade e querem ver seus netos receberem o diploma. Eu também relato a distancia para estudantes universitários em diferentes estados enquanto eu estou no escritório de casa. Eu trabalho com seminários para o estado de Nova Jérsei. Eu trabalho para grupos que  defendem as causas da comunidade surda e deficientes auditivos. E eu também relato casamentos quando um amigo ou parente não pode mais ouvir.

Eu tenho muito orgulho do meu salário. Eu tenho um salário que é impressionante. O lado ruim é que eu tenho que pagar pelas minhas despesas como gasolina, pedágio, contas do carro, plano de saúde, equipamento, manutenção, telefone, internet que são coisas que eu preciso para trabalhar.

Igualmente Diferentes: Quais as dificuldades que você encontra no seu trabalho?

Fran: Meu trabalho tem dificuldades assim como todos os outros, entretanto eu os considero como desafios e não dificuldades. As vezes chega a ser penoso ter que aceitar um trabalho que está um pouco além do que eu posso fazer; por exemplo, eu tive que relatar um Bar Mitzvah (é o  nome da cerimônia que insere meninos judeus como um membro maduro da comunidade judaica, isso ocorre aos 12 anos e um dia, para meninas o nome é Bat Mitzvah e ocorre aos 13 anos e um dia–  Igualmente Diferentes também é cultura) para uma família de surdos. Aquilo foi um desafio e sinceramente eu acho que eu desapontei a família. Escrever palavras em Iídiche ( que significa Judeu que é um pouco mais atualizado e novo que o Hebraico e tem origem alemã) vai além da minha capacitação.  Outro trabalho foi um casamento Indiano. O noivo era surdo. Esses trabalhos são difíceis porque você tem que se preparar muito antes do tempo e não importa o quanto você se prepare, você nunca sabe tudo que vai acontecer ou está pronto para o que estará fazendo.

Igualmente Diferentes:  O equipamento que você trabalha é seu ou da companhia que você trabalha?

Fran: Eu pago pelo meu próprio equipamento. Uma maquina de esteno nova custa em torno de $5000,00 ( WOW isso sai quase R$ 12000,00). O software é exclusivo- você não pode simplesmente entrar na RadioShack (loja de eletrônicos) e pedir por ele-  e custa uns $ 5000,00 (De novo quase R$12000,00). Depois você também vai precisar de um laptop , os preços variam de acordo com marca e modelo. E então você também pode comprar um projetor e tela mas, esse é opcional, usado para grupos grandes.

Igualmente Diferentes: Porque você escolheu essa profissão?

Fran: Essa pergunta é meio complicada. Eu tenho que explicar essa historia do começo. Quando eu estava no ensino médio, eu queria ir para a faculdade. Minha família são Sicilianos e muito rígidos, e eles não acreditavam que mulheres deveriam ir para a faculdade. Meus pais acharam que era perda de tempo para uma mulher ter diploma universitário porque uma mulher deveria começar uma família e ficar em casa. Era uma mentalidade bem anos 50. Bom, teve então Dia das Profissões na minha escola e um relator de tribunais foi e demonstrou como era o trabalho. Eu fui pra casa e perguntei pro meu pai se era uma boa idéia eu fazer aquilo, e ele AMOU a idéia. Já que ele tinha me autorizado, eu apliquei para a escola e ganhei uma bolsa de estudos, e desde então eu jamais olhei pra trás. Eu me formei na escola de relator de tribunais bem rápido. Logo depois eu comecei a trabalhar na cidade de Nova Iorque. Meu primeiro chefe foi meu mentor e eu amei aprender sob a sua tutela. Quando eu me casei e tive minhas três filhas, essa carreira me deu a flexibilidade de estar em casa pra elas e me dar um pagamento respeitável. Eu amo essa profissão. Tenho orgulho de dizer que foi meu pai quem me deu o bom conselho de escolhe-lha.

 

Bom gente espero que tenham gostado.

Beijos a todos 🙂

24
Publicado por Diéfani Favareto Piovezan | 12 comentários

Galera, o igualmente diferentes voltou com mais um sorteio, dessa vez o leitor sorteado vai levar pra casa um super despertador vibratório, o Sonic Bomb

 

Vocês devem lembrar que postei no facebook um video sobre ele:

 

 

Pois é, ele pode ser seu, as regras são simples basta curtir a página do blog no facebook

https://www.facebook.com/equallydifferent

 

E compartilhar essa imagem

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=567486599933079&set=a.567486593266413.147494.567478479933891&type=1&theater

 

Ah não tem facebook? Responda a pergunta “Qual o blog que te dá um Sonic Bomb de Presente?” nos comentários e preencha os campos com seu nome e email e participe.

O sorteio será dia 10 de Janeiro de 2013.

 

Quem quiser comprar um despertador desses é só procurar por Vibrating Alarm Clock no site amazon.com

 

 

11
Publicado por Diéfani Favareto Piovezan | 4 comentários

Pontos cairam

Pontos cairam e hematoma foi embora

Fotos só pra atualizar todo mundo, só falta a tontura sumir de vez =D

Beijos a todos 🙂

Ps: Eis que dou de cara com isso num comentario do meu blog no post anterior a esse.

Olá. bom dia! tudo bem?
eu não gosto de audição…
vc não poder HC.. ele é medico errado..
O que há de errado com essas pessoas que não respeitam vontades e escolhar???

 

 

03
Publicado por Diéfani Favareto Piovezan | 6 comentários

Pessoal,

Hoje faz 11 dias que operei e fiz o segundo IC, ainda estou com tonturas e ainda não posso dormir virada pro lado operado (coisa que fiz sem querer umas 3 vezes já). Mas tirando isso, tudo dessa vez foi imensamente diferente e eu não me senti tão mal quanto da primeira vez.
Alias da primeira vez sobrevivi à base de analgésico de tanto que doía e depois fiquei dois meses com tontura. Dessa vez foi só hematoma e tontura, que alias está passando.

“Ai menina você tem coragem viu?” Gente não é coragem é vontade de ouvir, não é novidade pra todo mundo que eu tenho alma ouvinte, respeito todos meus amigos surdos, mas eu gosto de ouvir, nasci ouvinte e me sinto assim, fim de discussão.

“Ah, mas IC não é a cura pra surdez, não sei se uma cirurgia dessa compensa dos dois lados.” Não é a cura, nunca disse que era, é apenas um aparato que me ajuda a ouvir, mas se compensa ou não, quem decide sou eu e eu acho que compensa.

Por fim, fiquem com as fotos da minha saga até a presente data. A minha ativação será dia 17/12, não estou ansiosa, mas ainda falta um bom tempo até lá não é mesmo?

 

 

 

Usando o IC antigo por cima do turbante

Usando o IC antigo por cima do turbante

 

Quando acaba a cirurgia, fica um pouco de sangue dentro do ouvido, o médico foi retirar o turbante pra ver como tudo estava e assim que tirou a compressão, o sangue escorreu, depois ele colocou uma nova e quando tirou no dia seguinte, não houve problemas.

Agoira são DOIS…

 

Ainda no hospital, pontos assim qu ele retirou o segundo curativo e assinou minha alta.

Foto tirada hoje (veja data do post) corte cicatrizando bem, o problema foi esse hematoma horrendo atras que deixou um calombinho roxo ai, mas de resto, tudo bem!!!

Beijos a todos 🙂

10
Publicado por Diéfani Favareto Piovezan | 2 comentários

Como muitos sabem, eu dei entrada para o IC bilateral, o convênio liberou e bom, agora estou esperando. Acredito que até o fim do mês eu estarei Bi-implantada, pois o médico disse que está tentando agendar para o dia 23/10, pois a fono responsável precisa estar disponível e o convênio precisa liberar os papéis pro pagamento do aparelho.

Sabe o que me deixa mais ansiosa e animada agora? O fato d que hoje foi a primeira vez que consegui falar com uma completa estranha no telefone e compreender tudo que ela disse. Não que tenha sido uma conversa complexa, era apenas a secretaria da minha psicologa, avisando que o meu horario havia passado para amanhã às 15: 00.

Mas enfim, essas são coisas simples e bobar, mas que me fazem imensamente feliz, enchem meu coração de alegria e alimenta minha alma. Coisas que apenas o IC pode proporcionar, tecnologia é ou não é uma maravilha???

Beijos a todos 🙂

Ps: O meu lindo, Guilherme Goldstein Chazan foi hoje fazer o seu IC bilateral, e eu estou enviando muitas energias positivas pois eu tenho certeza que vai dar tudo certo e que o segundo IC dele será um sucesso tão grande quanto o primeiro.

 

26
Publicado por Diéfani Favareto Piovezan | 1 comentário

 

Gente eu estava no blog da Cinara e vi ela falando sobre esse assunto e isso me deu um estalo pra fazer um novo post. E sim eu sumi, mas eu ando sem tempo e bom, por mais que eu ame mantê-los informados, eu não respiro net 24/7.

Enfim, para um surdo o que é melhor? Um Apple ou um Samsung? Vejam bem. Antes de criticar, vocês precisam saber que eu tenho um iPhone 4 e um Galaxy Y, mas já usei e testei Galaxy SII e o SIII.

Pois então…tecnicamente falando o Samsung ganha do iPhone por ter flash player, uma câmera com resolução melhor, o som dele (pra ouvir musica sem fone) é bem mais alto, mas o iPhone ganha em velocidade de processamento, raramente dá pau ou trava um aplicativo e todos os Android que tive (foram 3) precisei dar restore umas 3 vezes, ao contrario do iPhone que nunca precisei.

O Android também tem melhor sistema de reconhecimento e transcrição de fala, coisa que o famoso Siri do iPhone peca horrores em fazer. O Android em si, tem a vantagem de haver inúmeros modelos, marcas, celulares de todos os jeitos para você poder usar, mas Apple, é iPhone ou iPhone.

Para quem acessa muito a internet do celular, o iPhone também é mais veloz e conta com um ótimo navegador que é o Safari. Já o Android é mais lerdo, o facebook tem um design relativamente diferente e o navegador deixa a desejar.

Bom, agora vamos para a parte que interessa. Mandar mensagens de texto do iPhone é bem mais confortável, pois no Android as telas ou são pequenas demais e ruim de digitar ou são muito grandes e é impossível usar apenas uma mão. A possibilidade de você errar letras é bem maior usando um Android. Fora que pra mudar de tela e ir pra símbolos e números você precisa clicar em um ícone e depois em outro…coisa que no iPhone é só clicar uma vez pra mudar e acabou.

“Ah Diéfani, mas eu tenho perda leve/moderada/ouço bem com AASI ou Implante e falo no telefone, como faz?” Pois então amiguinhos, o iPhone nesse quesito ganha em disparada. Os celulares com Android, em especial os Samsung que são os mais famosos, tem um áudio bem mais alto, porém DÓI o seu tímpano conversar nele, porque quando a pessoa fala algo num tom mais agudo, ele quase estoura. E se abaixar o volume ai não se ouve mais nada.

Sem contar que Android sofre muita interferência, quer fazer um teste? Pegue um celular qualquer e coloque perto da caixinha de som do PC (tem que ser desktop porque notebook não dá) e você vai notar que a caixinhas fica fazendo ruídos.

Já o iPhone, na hora de conversar é extremamente mais agradável, não incomoda nem um pouco e a interferência é ZERO, ou seja, além de ser bom e compensar pra gente, o preço que paga é JUSTO. Se você fizer o mesmo teste com as caixinhas de som, vai notar que com o iPhone elas não fazem ruído algum.

Bom, além de tudo isso, o iPhone conta com acessibilidades, você pode aumentr o tamanho das letras e ícones que aparecem na tela e o mais importante, usa-lo no modo “Compatibilidade com Aparelho Auditivo” que melhora muito a qualidade do som e não causa interferência nos AASI. Sem contar o famoso facetime, que eu não uso, mas que é uma mão na roda, surdos oralizados podem ler lábios e os sinalizados conversarem sem problemas.

“Tia, mas então, quem ganha?” Queridos, na minha opinião, por mais que e ame os Samsung Galaxy SII e SIII por exemplo, ainda assim, acho que iPhone ganha de 10 a 8, sim 10 a 8 porque como eu disse o Android ainda tem suas vantagens em cima do iPhone. Então eu, apesar de ser usuária dos dois, não desgrudo e não largo o meu iPhone por nadinha nesse mundo e se pifar, vou lá e compro um novo. Não vivo mais sem.

 

Beijo a todos 🙂

Procura ai
Que dia é hoje?
October 2017
M T W T F S S
« Jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
Contador de Visitas

Licença Creative Commons
O trabalho Igualmente Diferentes de Diéfani Favareto Piovezan foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Brasil.
Todos os direitos reservados - Design e Programação Igualmente Diferentes