11 de Abril de 2018

A Falta de Preparação dos Profissionais de Acessibilidade – por Marcos Becker Larivoir

Acessibilidade Como agir Deficiência Auditiva Deficiencia Fisica Deficiencia Intelectual Educação Informações LIBRAS Língua Portuguesa Oralização Outros Pessoas com Deficiencia
Por Diéfani Favareto Piovezan

O Marcos Becker Larivoir é estudante na UFVJM e compartilhou em seu Facebook, o seu descontentamento com o desprepado dos profissionais que o deveriam auxiliar com a questão da acessibilidade.

Eu quis dar uma ajuda e mais um meio para que o seu relato fosse propagado.

“Estudo na UFVJM desde o início de 2015. Quem estudou ou convive comigo sabe que desde o início até o semestre de 2017/2 não tive nenhum apoio de acessibilidade. Com muita luta, consegui intérprete de libras neste semestre de 2017/2.

Problema resolvido? Não.

Elas apareciam em algumas aulas, faltando em muitas outras. Ao longo do semestre indo as aulas, não sabia se teria interprete ou não. Se não tinha, assistia a aula mesmo sem entender grande parte do conteúdo.

Se tinha, aí mais um problema:

Sou surdo bimodal (língua portuguesa como língua materna e conhecimento em libras básico), utilizo aparelhos auditivos (AASI e Implante Coclear) e a melhor forma de comunicação pra mim é leitura labial com voz.

Como não tenho conhecimento de libras avançado, e as intérpretes não podem repetir a fala do professor com voz pra não atrapalhar a aula, acabavam repetindo somente em libras ou leitura labial sem voz.

Esse método não foi eficiente para mim. Então, pedi que pudessem traduzir de modo bimodal (leitura labial com libras seguindo a gramática portuguesa).

Resposta de uma interprete: Ah eu não sei fazer isso. (Fazendo pouca questão)

Resposta de outra intérprete: Eu me recuso, não aceito fazer isso. Português e Libras são línguas diferentes, não podem misturar.

Isso é grave. Segundo a lei brasileira da inclusão:

“Capítulo IV Do Direito à Educação

Art. 30.

IV – disponibilização de recursos de acessibilidade e de tecnologia assistiva adequados, previamente solicitados e escolhidos pelo candidato com deficiência; “

A lei diz que é o meu direito de escolher a forma de acessibilidade que quero, afinal, sou eu que estou sendo atendido e o objetivo é eu entender as aulas.

Reclamei com o pró-reitor da universidade, mandei ofício para ele 3x e nada foi feito.

O semestre de 2017/2 foi o mais estressante e desmotivador pra mim. Tive um rendimento pior do que quando me virava sozinho. Posso dizer que mais me atrapalhou do que ajudou.

Pra curiosidade de alguns, meu curso é Ciência e Tecnologia/Engenharia Química.

Estou dizendo isso aqui, pois me vejo sem saída. Reclamo com o Núcleo de Acessibilidade, com o pró reitor, já fui na ouvidoria e nada. Acredito na força de reclamar na rede social e postarei aqui os problemas no dia a dia, como alguns me falaram para fazer isso e tenho visto uma surda fazendo isso.”

 

7 de Março de 2018

Sorteio – A Volta dos Que Não Foram

AASI Acessibilidade Aplicativos Concursos Deficiência Auditiva Deficiencia Fisica Deficiencia Intelectual Deficiência Motora Deficiencia Visual Educação Humor Implante Coclear Informações Jogos LIBRAS Língua Portuguesa Oralização Outros Pessoas com Deficiencia Sorteio Tecnologia Terapia de Fala Treino Auditivo
Por Diéfani Favareto Piovezan

Eu prometi que em 2018 voltaria com o blog e que teria novidades, então clica na imagem do sorteio logo abaixo do Regulamento para ser redirecionado para a Página do Igualmente Diferentes No Facebook e se inscrever para concorrer a 3 livros da Lak Lobato. Clica no link do sorteio, depois em “Quero Participar” e pronto, você já está concorrendo.

Regulamento

1) Datas do Sorteio

– A data de início da para as inscrições será dia 03 de março de 2018

– A data de encerramento do prazo de inscrição será dia 29 de março de 2018

– O sorteio será realizado no dia 30 de março de 2018

2) Premiação

Serão sorteados:

01 (um) livro “Desculpe, Não Ouvi” (último exemplar disponível).

02 (dois) livros “E Não é Que Eu Ouvi?”.

Será um livro por pessoa, totalizando 3 (três) pessoas sorteadas.

Todos os livros terão dedicatória da autora, Lak Lobato do Desculpe Não Ouvi!

3) O que fazer para participar?

– Ter um perfil no Facebook para curtir e compartilhar a página do Igualmente Diferentes

4) Como cumprir as etapas

-Entre no seu Facebook, procure a página do Igualmente Diferentes e clique no botão “curtir” localizado no topo da página;

-Em seguida, clique no botão “compartilhar”, no canto inferior esquerdo da página;

– Caso o faça, você estará de acordo com o presente regulamento

– Clique no link do sorteio (imagem abaixo)

– Clique em “Quero Participar”

5) Sorteio

– O sorteio se dará por escolha aleatória no banco de dados dos cadastrados na

promoção através do aplicativo Sorteie.Me

– Será enviada uma mensagem via Facebook aos vencedores e os nomes serão divulgados na página

– Os prêmios serão enviados pelo correio;

– Os sorteados terão um prazo de 3 dias para enviar seu endereço, caso contrário o sorteio será anulado e realizado outra vez entre os participantes, seguindo o mesmo regulamento.

 

2 de Março de 2018

Quando a Opinião Alheia nos Fere

Acessibilidade Como agir Deficiência Auditiva Deficiencia Fisica Deficiencia Intelectual Deficiência Motora Deficiencia Visual Educação Implante Coclear Informações LIBRAS Língua Portuguesa Outros Pessoas com Deficiencia
Por Diéfani Favareto Piovezan

Vivemos em sociedade e lidamos com pessoas diariamente. Mesmo uma pessoa que sai raramente de casa é obrigada a lidar com pessoas, seja pessoalmente ou virtualmente e isso por si só não é uma tarefa fácil mas se torna especialmente difícil quando fazemos parte das minorias.
Dentro dessas minorias estão as pessoas com deficiência. Ter uma deficiência já acarreta algumas coisas vindo da sociedade como visão pessimista, pena, nojo. A maioria das pessoas acham que o modelo de pessoa com deficiência é alguém que se assemelha ao monstro do pântano. Continue Lendo

26 de Fevereiro de 2018

Menos Barulho por Favor

Acessibilidade Aparelhos Auditivos Como agir Deficiência Auditiva Educação Humor Informações Música Pessoas com Deficiencia Tecnologia Variadas
Por Diéfani Favareto Piovezan

Todos sabem que eu amo o implante coclear, amo poder ouvir e amo os sons que me são entregues, sons esses aos quais fui privada por um bom tempo, mas não há nada melhor do que chegar em casa depois de um dia inteiro de trabalho e correria, tirar os processadores e ficar em silêncio.
Durante o dia sou bombardeada de informações sonoras, tenho déficit de atenção e hiperatividade, trabalho com programação e após o trabalho tenho diversas coisas para fazer na rua. A quantidade de informação que recebo durante o dia é imensa e o meu cérebro cansa a ponto de às vezes desligar sozinho por sobrecarga. E não me refiro a dormir, me refiro a uns períodos que ele parece estar em modo de espera. Estou acordada mas ele não está funcionando.
Quando chego em casa depois do dia que tive, qualquer barulhinho me irrita. Pia ou chuveiro pingando, música alta no vizinho (e muitas vezes nem tão alta assim está)., cachorro latindo. Tem dia que eu não estou nem a fim de conversar porque vai me irritar. Continue Lendo

1 2 3