10 de outubro de 2012

Saga IC Bilateral

Deficiência Auditiva Implante Coclear Tecnologia Variadas
Por Diéfani Favareto Piovezan

Como muitos sabem, eu dei entrada para o IC bilateral, o convênio liberou e bom, agora estou esperando. Acredito que até o fim do mês eu estarei Bi-implantada, pois o médico disse que está tentando agendar para o dia 23/10, pois a fono responsável precisa estar disponível e o convênio precisa liberar os papéis pro pagamento do aparelho.

Sabe o que me deixa mais ansiosa e animada agora? O fato d que hoje foi a primeira vez que consegui falar com uma completa estranha no telefone e compreender tudo que ela disse. Não que tenha sido uma conversa complexa, era apenas a secretaria da minha psicologa, avisando que o meu horario havia passado para amanhã às 15: 00.

Mas enfim, essas são coisas simples e bobar, mas que me fazem imensamente feliz, enchem meu coração de alegria e alimenta minha alma. Coisas que apenas o IC pode proporcionar, tecnologia é ou não é uma maravilha???

Beijos a todos 🙂

Ps: O meu lindo, Guilherme Goldstein Chazan foi hoje fazer o seu IC bilateral, e eu estou enviando muitas energias positivas pois eu tenho certeza que vai dar tudo certo e que o segundo IC dele será um sucesso tão grande quanto o primeiro.

 

11 de junho de 2012

Segregação de Surdos

Deficiência Auditiva Implante Coclear LIBRAS Língua Portuguesa Oralização Terapia de Fala Variadas
Por Diéfani Favareto Piovezan

 

Bom hoje eu vou falar de algo que gera brigas por ai, que é o isolamento de certos grupos de pessoas. Nesse caso irei me abster ao isolamento de surdos usuários de LIBRAS. Muitos surdos sinalizados se isolam criando o que eles mesmos chamam de “Cultura Surda”. Esses grupos são considerados radicais e não aceitam em seu meio surdos oralizados, implantados ou com aparelhos auditivos e é claro que muito menos ouvintes. Continue Lendo

6 de junho de 2012

Sons (Texto Adaptado do Blog Antigo)

Implante Coclear Treino Auditivo Variadas
Por Diéfani Favareto Piovezan

Eu fui privada de ouvir por anos, não muitos, mas foram o suficiente pra me fazer perceber o quão valioso o sentido da audição é. Só aqueles que foram privados do privilégio de ouvir podem saber o que digo. Há 1 ano e 7 meses, tive meu implante ativado. A emoção foi grande, e as descobertas não param nunca.

Ontem, dia 05/06/2012 eu estava assistindo Grey’s Anatomy foi espetacular poder ouvir os sons e dialogos do seriado, ainda mais sendo o ultimo episodio da temporada. Pude degustar cada sonzinho saído das caixas de som do computador. Preciso confessar que chorei muito, não que eu não chorasse antes, mas quando se tem a oportunidade de ouvir berros e choros de desespero em uma obra de ficção, a emoção é quintuplicada.

As surpresas não se restringem somente à TV, cada dia que passa minha audição melhora, claro que tenho as minhas dificuldades, e agora com o novo mapeamento, estou apanhando pra processar coisas mais complexas, mas consigo falar no telefone, com direito a ouvir minha tia me chamando de folgada porque ainda não fui pra casa e “já é uma da manhã.” Continue Lendo

14 de abril de 2012

Aprendendo Inglês

Acessibilidade Deficiência Auditiva Implante Coclear Inglês Oralização Terapia de Fala Treino Auditivo
Por Diéfani Favareto Piovezan

Não é novidade pros meus leitores de longa data e amigos, que eu morei nos EUA por 6 anos, que foi onde eu perdi minha audição completamente. Como muitos sabem, eu tenho neuropatia, então a compreensão das falas e do som, mesmo quando ainda ouvia um pouco, era de uma qualidade absurdamente baixa.

Muitos me perguntam como fiz pra aprender inglês, em primeiro lugar, eu já tinha uma base de quando ouvia,  mas era mais por conta de vídeo games, filmes e séries, na verdade, eu sabia um pouco de gramática e vocabulário, mas não falava porcaria alguma. Também fiz aulas particulares um tempo, mas depois fiquei mais de um ano parada sem estudar.

Quando cheguei nos EUA, minha audição já estava se deteriorando, fui pra escola e lá me mandaram pras salas de aula de ESL ( English as Second Language), os professores falavam inglês mais devagar, o que dava a chance de captar melhor a leitura labial, em 3 meses fui transferida para salas regulares, foi onde a tormenta começou.

Nas salas regulares, eu não conseguia entender muito bem, por causa da velocidade em que falavam, quando falei que tinha um pouco de dificuldade auditiva, me mandaram pra fazer exames no médico autorizado da escola, que disse que estava tudo bem…mas bom, na época eu ouvia, o problema era discriminar a fala e sons. Continue Lendo

1 8 9 10 11 12 13