11 de Abril de 2018

A Falta de Preparação dos Profissionais de Acessibilidade – por Marcos Becker Larivoir

Acessibilidade Como agir Deficiência Auditiva Deficiencia Fisica Deficiencia Intelectual Educação Informações LIBRAS Língua Portuguesa Oralização Outros Pessoas com Deficiencia
Por Diéfani Favareto Piovezan

O Marcos Becker Larivoir é estudante na UFVJM e compartilhou em seu Facebook, o seu descontentamento com o desprepado dos profissionais que o deveriam auxiliar com a questão da acessibilidade.

Eu quis dar uma ajuda e mais um meio para que o seu relato fosse propagado.

“Estudo na UFVJM desde o início de 2015. Quem estudou ou convive comigo sabe que desde o início até o semestre de 2017/2 não tive nenhum apoio de acessibilidade. Com muita luta, consegui intérprete de libras neste semestre de 2017/2.

Problema resolvido? Não.

Elas apareciam em algumas aulas, faltando em muitas outras. Ao longo do semestre indo as aulas, não sabia se teria interprete ou não. Se não tinha, assistia a aula mesmo sem entender grande parte do conteúdo.

Se tinha, aí mais um problema:

Sou surdo bimodal (língua portuguesa como língua materna e conhecimento em libras básico), utilizo aparelhos auditivos (AASI e Implante Coclear) e a melhor forma de comunicação pra mim é leitura labial com voz.

Como não tenho conhecimento de libras avançado, e as intérpretes não podem repetir a fala do professor com voz pra não atrapalhar a aula, acabavam repetindo somente em libras ou leitura labial sem voz.

Esse método não foi eficiente para mim. Então, pedi que pudessem traduzir de modo bimodal (leitura labial com libras seguindo a gramática portuguesa).

Resposta de uma interprete: Ah eu não sei fazer isso. (Fazendo pouca questão)

Resposta de outra intérprete: Eu me recuso, não aceito fazer isso. Português e Libras são línguas diferentes, não podem misturar.

Isso é grave. Segundo a lei brasileira da inclusão:

“Capítulo IV Do Direito à Educação

Art. 30.

IV – disponibilização de recursos de acessibilidade e de tecnologia assistiva adequados, previamente solicitados e escolhidos pelo candidato com deficiência; “

A lei diz que é o meu direito de escolher a forma de acessibilidade que quero, afinal, sou eu que estou sendo atendido e o objetivo é eu entender as aulas.

Reclamei com o pró-reitor da universidade, mandei ofício para ele 3x e nada foi feito.

O semestre de 2017/2 foi o mais estressante e desmotivador pra mim. Tive um rendimento pior do que quando me virava sozinho. Posso dizer que mais me atrapalhou do que ajudou.

Pra curiosidade de alguns, meu curso é Ciência e Tecnologia/Engenharia Química.

Estou dizendo isso aqui, pois me vejo sem saída. Reclamo com o Núcleo de Acessibilidade, com o pró reitor, já fui na ouvidoria e nada. Acredito na força de reclamar na rede social e postarei aqui os problemas no dia a dia, como alguns me falaram para fazer isso e tenho visto uma surda fazendo isso.”

 

10 de Abril de 2018

A Inutilidade do Telefone TDD ou TTY

Acessibilidade Deficiência Auditiva Informações Outros Pessoas com Deficiencia Tecnologia
Por Diéfani Favareto Piovezan

Recentemente tive um problema deveras chato no banco e por acreditar que o problema não seja apenas nesse banco, não citarei nomes. Fui fechar minha conta e perguntei sobre o cartão de crédito, me disseram “ele não é vinculado a conta, precisa ligar no SAC”.

Achei isso por si só, um absurdo, porque o cartã foi feito no momento da abertura da conta e eu só poderia te-lo se tivesse conta.

Além disso, a única forma de pagar conta era na agência ou pelo aplicativo, ao encerrar a conta, fiquei sem o aplicativo e lá vai outra correria para pagar.

Voltando ao problema inicial, perguntei ao rapaz se ele poderia tentar cancelar para mim, porque por mais que eu use telefone, SAC às vezes é complicado.

Continue Lendo

2 de Abril de 2018

O que o Implante Coclear pode trazer de bom?

AASI Acessibilidade Deficiência Auditiva Implante Coclear Informações Língua Portuguesa Oralização Pessoas com Deficiencia Tecnologia Terapia de Fala Treino Auditivo
Por Diéfani Favareto Piovezan

Para quem é implantado há algum tempo, escreve sobre o assunto, é comum ser abordado por candidatos temerosos e esperançosos. As perguntas vão das mais simples até as mais complexas.

Às vezes somos atingidos por algumas que trazem reflexão até mesmo aos usuários mais antigos.

“Se eu fizer o implante coclear, o que ele trará de bom?”

A resposta deveria ser simples e estar na ponta da língua. Sons. O problema é que não é apenas isso, ele vai trazer muito mais do que sons.

Uma pessoa ao fazer o IC, passará a ser parte de uma família e uma comunidade enorme. Então vamos lá.

O Implante Coclear trará novas pessoas para sua vida, desde equipe multidisciplinar dos centros de implantes até usuários de outros países. Somos uma família, somos uma comunidade e somos muitos.

Você terá novas experiências, descobrirá coisas novas. Aprender a ouvir não é uma tarefa fácil mas é simplesmente mágica.

A sensação de ouvir a chuva, o vento, pássaros, músicas, todos aqueles sons que você nunca ouviu ou havia perdido, ouvidos pela primeira vez através dessa maravilhosa tecnologia. Continue Lendo

26 de Março de 2018

Despertadores para Deficientes Auditivos

AASI Acessibilidade Aparelhos Auditivos Aplicativos Deficiência Auditiva Informações LIBRAS Língua Portuguesa Oralização Outros Pessoas com Deficiencia Tecnologia Treino Auditivo
Por Diéfani Favareto Piovezan

Desde que entrei para a turma “blogueira de surdez”, venho sendo constantemente perguntada sobre despertadores para deficientes auditivos, então vou falar um pouco sobre eles.
O primeiro modelo que comprei, era pequeno, portátil, funcionava com pilha e podia ser colocado no pulso. É um bom despertador para quem não tem sono pesado, pois a vibração dele é bem leve.

Continue Lendo

1 2 3 4 8