11 de Maio de 2016

Acessórios Para IC – Capas a Prova d’Água

AASI Acessibilidade Aparelhos Auditivos Deficiência Auditiva Educação Implante Coclear Informações Língua Portuguesa Oralização Pessoas com Deficiencia Tecnologia Variadas
Por Diéfani Favareto Piovezan

Acessórios – Capa a prova d’água

 

Eu prometi anterior que falaria novamente sobre acessórios para IC e aparelhos auditivos e tem muita gente perguntando sobre as capas a prova d’água. Antes de mais nada, cada marca possui a sua capa, não existe uma capa que seja universal, portanto, você deve entrar em contato com a empresa responsável pelos acessórios da sua marca, para solicitar o seu.

Todas as informações abaixo foram retiradas dos sites de seus respectivos fabricantes.

 

MED-EL

A MED-EL possui as capas WaterWear para Rondo, Opus 2 e Sonnet. A capa é reutilizável e é auto adesiva. A do Rondo é obviamente diferente das usadas nos modelos BTE (atrás da orelha). Elas têm como objetivo, garantir o conforto do usuário, de forma que não sejam incomodas.

Vale lembrar que o Sonnet apesar de ser resistente a água, não é submergível, ou seja, se você tomar chuva, não vai precisar ficar preocupado com seus processadores mas praticar surf e mergulho por exemplo, sem a capa, fará com que você corra risco de danificar o processador.

Como as capas selam completamente os processadores, eles não funcionam com baterias descartáveis que são Zinc Air e precisam de circulação de ar para funcionar, se quiser usar descartáveis, precisará comprar as do tipo alcalina, do contrário, use as recarregáveis. Continue Lendo

6 de novembro de 2013

Diga NÃO à imposição!

Acessibilidade Deficiência Auditiva Implante Coclear Informações LIBRAS Língua Portuguesa Oralização Pessoas com Deficiencia Tecnologia Terapia de Fala Treino Auditivo Variadas
Por Diéfani Favareto Piovezan

Desde que comecei a ter contato com outros surdos, eu noto divergências de pensamentos. Veja bem, quando digo divergências, eu me refiro ao radicalismo de alguns surdos usuários de LIBRAS e de outros tantos surdos usuários de Língua Portuguesa. Existe uma grande parcela que ou é bilíngue ou respeita a escolha do próximo, mas é TRISTE a quantidade de radicais que existem em ambos os lados.

Para falar desse assunto de forma mais aprofundada, vou voltar muitas décadas na história. Durante mais da metade do século XX (vou me ater ao século que nasci) os surdos passaram por diversos problemas. Primeiro existia aquele conceito de que surdo deveria ficar em hospitais psiquiátricos a vida inteira. Naquela época chamavam de hospício mesmo. Muitas famílias não sabiam que seus filhos surdos eram perfeitamente normais e inteligentes e por falta de conhecimento, essas crianças eram enviadas para essas instituições, onde eram maltratadas e viviam em condições péssimas de higiene.

Para as famílias que não enviavam seus filhos para esses lugares, muitas vezes sobrava a vergonha e uma vida inteira tentando esconder seus filhos da sociedade. Logo depois a Língua de Sinais foi tomando mais espaço, as escolas para surdos começaram a surgir e um mundo novo se abriu. Acontece que essas crianças e adolescentes que iam para essas escolas, acabavam ficando segregadas em guetos, não conseguiam se comunicar com a família, nem com o mundo lá fora. Continue Lendo

1 2