8 de Maio de 2018

Perda Auditiva – Entenda os Tipos e Graus

AASI Aparelhos Auditivos Deficiência Auditiva Implante Coclear Informações LIBRAS Língua Portuguesa Oralização Outros Pessoas com Deficiencia
Por Diéfani Favareto Piovezan

Como funciona a Audição

A orelha humana se constitui de três partes: orelha externa, orelha media e orelha interna.

A orelha externa é formada pelo pavilhão auricular e o canal auditivo externo. Ondas sonoras são captadas pelo pavilhão auricular e depois direcionadas para o canal auditivo externo e depois segue para a orelha media e interna.

A orelha média começa na membrana timpânica e possui os menores ossos do corpo humano (martelo, bigorna e estribo), ela transmite a onda Sonora para a orelha interna, que é onde se encontra a cóclea, que é o órgão responsável pela audição.

Dentro da cóclea há líquidos e células ciliadas. A ação da cadeia ossicular cria um movimento no líquido, que estimula as fibras nervosas que por sua vez enviam impulsos elétricos para o nervo auditivo e para o cérebro que interpreta os impulsos como som.

Perda Auditiva

Os fatores que contribuem para a perda auditiva são muitos e vão desde de bastantes comuns até graves.

Alguns dos fatores são: exposição a barulho intense ou ruído constante, hereditariedade, envelhecimento, medicamentos ototóxicos, doenças, lesões traumáticas, problemas na gestação como rubéola, sífilis, citomegalovírus e até mesmo stress.

De acordo com o censo do IBGE de 2010, no Brasil, aproximadamente 5,10% da população tem algum tipo de perda auditiva. Parece ser pouco mas isso equivale a pouco mais que a população da Cidade de São Paulo.

Tipos de Perda Auditiva

Condutiva

Quando há interferência na transmissão adequada do som da orelha externa ou média para a orelha interna. São geralmente de grau leve ou moderado, entre 25 a 65 decibel.

São mais facilmente tratadas com aparelho auditivo, implante de ouvido médio e algumas outras intervenções cirúrgicas ou medicamentosas.

Em alguns casos pode ser temporária como por exemplo, infecções do ouvido médio, acumulação de fluído, bloqueio do ouvido externo (geralmente causados por rolhas de cera).

Neurossensorial

É causada por desordem do ouvido interno, e é irreversível. Resulta da falta ou dano de células sensoriais (ciliadas) na cóclea. Pode ser de grau leve, moderada, severa ou profunda.

Em casos de perda leve a severa mas não progressiva, é recomendado o uso de aparelhos auditivos ou implante de orelha média, já para perdas progressivas quando é perda moderada com componentes de severa, perda severa ou profunda (nesse caso sendo progressiva ou não), a recomendação é o uso de implantes cocleares.

A perda neurossensorial pode ser parcial, ou seja, apenas em alta frequência, que é causada por danos nas células ciliadas na base da cóclea, pois dentro da cóclea as células ciliadas responsáveis pela baixa frequência ainda não foram danificadas.

Mista

Perda com componentes condutivos e neurossensoriais, causada por alterações no ouvido interno e médio ou externo, um exemplo comum é quando um idoso tem alterações nas células ciliadas por causa da idade e ao mesmo tempo uma otite do ouvido médio. As intervenções são medicamentos, cirurgias, implantes cocleares ou aparelhos auditivos.

Neural

Causada pela ausência (atrofia) ou dano ao nervo auditivo. É profunda e permanente e nesses casos aparelhos auditivos e implantes cocleares não resolvem o problema porque o nervo é incapaz de transmitir informações para o cérebro. Em alguns casos é recomendado o uso do Implante Auditivo de Tronco Cerebral.

Grau de Perda Auditiva

Leve

Dificuldade em ouvir sons fracos e compreensão da fala em ambientes ruidosos.

Moderada

Dificuldade em ouvir sons fracos e moderados e é bastante difícil compreender a fala com ruídos no fundo.

Severa

Não ouve sons fracos nem moderados, conversas precisam ser conduzidas em tom de voz alta e conversas em grupo são dificultadas.

Profunda

Em alguns casos é possível ouvir sons muito fortes (turbinas de avião, por exemplo). A comunicação sem aparelhos auditivos, leitura labial ou LIBRAS se torna impossível, pois a pessoa não compreende a fala.