12 de Maio de 2014

O Terror dos Surdos

Acessibilidade Deficiência Auditiva Implante Coclear LIBRAS Língua Portuguesa Música Oralização Pessoas com Deficiencia Tecnologia Terapia de Fala Treino Auditivo Variadas Viagens
Por Diéfani Favareto Piovezan

Todo mundo que tem perda auditiva, acaba de certa forma criando um certo medo de algumas tecnologias. De todas, eu acredito que telefone, interfone e drive-thru automatizados, são os 3 piores.

 

Como vocês sabem, eu uso telefone. Eu confesso que não ligo em SAC, até porque me falta paciência, pra isso, nunca tive. O meu uso porém é sempre cheio de ansiedade. Normalmente são conversas rápidas com algum parente. A primeira vez que falei mais tempo ao telefone, foram 30 minutos com uma amiga e não houve nenhum problema de comunicação entre a gente. E não foi por facetime, só pra deixar claro. Pra ser honesta, comprei iPhone usando desculpa do facetime, mas nunca usei a tecnologia. O uso do telefone por mim no entanto, sempre gera um pouco de ansiedade dependendo de pra quem eu preciso ligar. Eu no entanto, não uso telefone fixo, eu tinha um aparelho para deficiente auditivo que quebrou, desde então só uso celular. Hoje mesmo liguei pra marcar horário com meu ortopedista e embora eu tenha ficado um pouco ansiosa por causa do barulho no consultório, foi tudo bem, sem repetições e eu marquei com ele numa boa.

falandonotel

Em relação aos interfones, o problema não é só o fato da deficiência auditiva atrapalhar, mas é que a qualidade dos aparelhos, em sua maioria, são HORRIVEIS. Quem está tocando o interfone, tem pra piorar, carros passando na rua, bicicleta, criança, som alto, enfim, tudo que pode atrapalhar até o melhor dos ouvintes. Eu acabei “desenvolvendo uma técnica”. Por exemplo, no pilates, preciso tocar interfone e a rua é movimentada e o estudio/academia, fica em frente a uma Escola Municipal de ensino fundamental. A barulheira é constante, mas geralmente chego bem perto do interfone e espero parar de passar carros e toco. Ao atenderem, já estou próxima do aparelho e prestando atenção, sem correr risco de ficar sem ouvir. Na casa da minha prima no entanto, eu sofro, porque a cachorra dela vai no portão latir, por fim eu berro o nome dela e ela sabe que sou eu.

interfone

Ah, os benditos drive-thru automatizados rs. Nos EUA eu usava pouco, porque lá conheci os prazeres do pedido online, então tudo que precisava, eu pedia online. Até os 16 eu não dirigia, então nunca ia sozinha aos drive-thrus e quando comecei a dirigir, eu conseguia ouvir quando alguém começava a falar, mas não sabia o que, mas sabia que era hora de pedir, pedia, aparecia na tela, eu confirmava e pronto, pagava, pegava e ia embora, mas na maioria das vezes eu entrava na lanchonete e ia comer lá mesmo, era mais prático, tinha refil de bebidas e se eu quisesse, pedia sobremesa depois de comer. Aqui no Brasil na maioria dos lugares o costume é ter um atendente numa janela, então a leitura labial era o que eu usava e depois com o IC, eu ouvia numa boa. Porém, agora começaram as automatizações e a primeira vez que usei, faz até pouco tempo e pra minha surpresa, foi tudo imensamente bem. Eu não só falei com atendente pela máquina, como estava no telefone com minha tia vendo o que ela ia querer e com o rádio do carro ligado. Sai de lá mais do que satisfeita.

drivethru

 

Porém, entretanto, contudo, nada disso seria possível, se não fosse pela maravilhosa tecnologia chamada implante coclear, que me permite driblar essas coisas. O IC não é a cura para a surdez, pelo contrário, quem tem um pouco de audição residual, por minima que seja, acaba a perdendo quando se submete ao implante, pois as células ciliadas morrem no processo e são substituidas pelos eletrodos, então tecnicamente, você fica ainda mais surdo, mas quando ativado, o IC é um recurso que me auxilia e me ajuda a ouvir com clareza. Eu uso ele o tempo todo, só não durmo com ele, porque pode quebrar o cabo e acaba doendo a orelha, mas já dormi algumas vezes. Amo o que essa tecnologia me proporciona, que é a sensação de ser plena e CAPAZ.

Beijos 🙂

7 de Março de 2014

Direito de Ouvir

Acessibilidade Deficiência Auditiva Implante Coclear Informações LIBRAS Oralização Pessoas com Deficiencia Sorteio Variadas Viagens
Por Diéfani Favareto Piovezan

Esse mês estava navegando a toa pelo Facebook, quando me deparei nas comunidades sobre surdez e implante coclear, o apelo do Marivaldo de Paula, aos 30 anos de idade, o professor que mora em Rio Branco, está lutando para conseguir um implante coclear para sua filha, Ana Cristina, de apenas 4 anos.

Marivaldo notou sinais de surdez desde que Ana era bebê, pois além de não desenvolver a fala, ela não atendia aos chamados, como a esposa é surda, ele resolveu consultar um médico, que constatou a surdez profunda na filha. Ele relata que antes do diagnostico ele ainda tinha esperanças de que fosse apenas um atraso no desenvolvimento da fala, pois ela sempre foi uma criança com muita energia e cheia de vida, ainda se emociona ao lembrar de quando recebeu a noticia do médico.

No começo foram criando gestos caseiros e depois a filha entrou na escola infantil e com ajuda da intérprete aprendeu LIBRAS, a mãe se matriculou em um curso de LIBRAS, de acordo com Marivaldo, as duas se adaptaram muito bem e aprenderam com tanta rapidez que chegou a ser espantoso, ele ficou de fora por falta de vagas, mas vem aprendendo em casa. Em 2013 a pequena Ana Cristina começou a frequentar a escola e tem uma interprete de LIBRAS que a acompanha nas aulas.

Apesar da filha se comunicar muito bem através da LIBRAS, Marivaldo percebia que havia um certo distanciamento involuntário com sua filha por parte de algumas crianças, por estas não entenderem a LIBRAS. Ana Cristina, por ser uma criança, não entende que tem a deficiência auditiva. Ele ficou sabendo sobre o implante coclear aos poucos. De cara lhe disseram que para ela não servia, pois era apenas para crianças até dois anos. Não se deu por convencido e continuou pesquisando e encontrou muitos casos de implantados que só passaram pela cirurgia depois de adultos.

Algumas opiniões depois, tentou fazer o implante pelo SUS, disseram que os relatórios que ele possuía eram do plano de saúde e teria que ser de um médico da rede pública, conseguiu marcar então consulta com médico da rede pública para tentar novamente passagens pelo TFD. Para esclarecer, o estado do Acre não faz cirurgia de Implante Coclear, de acordo com o que pesquisei, já foi requisitado que a cirurgia seja feita lá, mas os profissionais ainda estão passando por treinamento para que sejam capacitados a fazê-la. O problema, é que o treinamento demora. O médico que será o responsável pela cirurgia precisa viajar para fora do país para aprender como faz, é um processo longo e bem complexo.

O estado o Acre, usou essa desculpa para o fato de adiar qualquer resposta ao pedido de Marivaldo, que dará entrada com novo pedido, agora com laudo médico da rede pública, da forma que o estado do Acre exigiu. Honestamente, quando li a resposta do responsável ao G1 (site onde Ana Cristina teve sua história contada), contando que o estado do Acre estava apenas esperando o treinamento dos profissionais, eu entendi nas entrelinhas um “vai esperar estar tudo certinho e vai fazer a cirurgia aqui, nada de ir pra fora e gastar verba publica pra isso.” Acredito que Marivaldo tenha entendido da mesma forma, pois ele mesmo disse que não podia esperar tanto tempo. Ele relata que ao saber da possibilidade de ouvir, Ana Cristina ficou empolgada e feliz, ela quer ouvir.

O pai de Ana Cristina, começou então uma outra batalha e traçou um novo plano. Marcou consulta com os responsáveis pelo IC em Campinas para o dia 25/03/2014 e disse que pagaria hospedagem, comida e viagem do próprio bolso. Acontece que o valor precisado por ele, é alto para o que ganha. Ele começou uma campanha online, pedindo doações, vendendo rifas e acabou decidindo colocar o carro a venda para custear as despesas. O Marivaldo agora está pedindo a minha, a sua, a NOSSA ajuda para que o sonho de ver a pequena Ana Cristina seja realizado. Ele não está pedindo suas curtidas no Facebook, ele está pedindo doações e que a mensagem seja repassada.

Não quer fazer doação? Tem a possibilidade de comprar uma rifa. Ele está vendendo rifas de uma cesta de produtos da Natura, avaliada em R$ 200,00. O valor de cada rifa é R$ 2,00. Para quem acha que é falcatrua ou marmelada, clique no link para ser redirecionado pra página da G1, “Acreano Faz Campanha Na WEB Por Cirurgia Para a Filha Deficiente Auditiva” .

 

Qualquer valor, R$ 1,00 que seja já será de enorme ajuda e mais um passo a caminho do IC para Ana Cristina. Vocês não acham que ela tem direito de ouvir? Eu acho e já fiz minha contribuição, a família conta com todos nós.

 Abaixo, a imagem que Marivaldo colocou para circular na rede e as fotos da cesta que será sorteada na rifa, quem quiser pode entrar com contato com ele pelo Facebook: Marivaldo de Paula


Conta

 

cestarifa2

cestarifa

18 de Fevereiro de 2014

Closed Caption…cadê?

Acessibilidade Deficiência Auditiva Deficiencia Fisica Filmes Implante Coclear LIBRAS Oralização Pessoas com Deficiencia Tecnologia Treino Auditivo Variadas Viagens
Por Diéfani Favareto Piovezan

Pessoas, eu sumi, mas é que por aqui anda tudo muito corrido e eu até tenho assunto, mas falta um pouco de tempo. Depois de passar alguns dias nos EUA, voltei com aquela sensação de sempre: “ONDE DIABOS ESTÁ A ACESSIBILIDADE PARA SURDOS NO BRASIL?”

Deve estar escondida em algum buraco, alguma gaveta de parlamentar, porque não é possível. Quando comparado com os EUA, o Brasil parece um “bichinho estranho e gosmento” nesse quesito. A acessibilidade está lá pra todos. Os museus possuem cadeiras de rodas, elevadores, rampas. Só fica em casa quem quer.

O fantástico mesmo pra mim é a acessibilidade para surdos e olha que eu nem uso nada quando vou lá. Dessa vez só fiz uso das cadeiras nos museus, mas onde eu procurei, tinha acessibilidade para surdos. No cinema, todos os filmes e horários possuíam closed caption, bastava pedir ao atendente. Show da Broadway? Eu queria ver O Rei Leão (acabei não indo) e fui checar se tinha algo pra mim, porque eu tinha medo de perder alguma parte ou fala interessante já que estaria sentada mais pro fundo porque é mais barato. Bom, tinha closed caption. ONDE tem closed caption em um musical no Brasil? Se souberem me digam, porque eu preciso ver pra crer. TV? No Brasil estão dublando tudo enquanto nos EUA é obrigatório.

Nos museus eles tem  cinema 4D, algumas exibições especiais com video ou palestras e tudo tem closed caption, basta fazer a solicitação. Os trens e metrôs tem um sinal luminoso que diz “This station X”, “Next station Y”. Os aeroportos tem telão pra todo lado informando portões, mudanças de portões, atrasos e coisas do tipo.

Sério, é tão dificil dar acessibilidade para quem precisa? Gente, não custa caro. Se falarem que sai caro é mentira. Eu falo com conhecimento de causa, que colocar closed caption e legendas em filmes e afins, sai infinitamente mais barato do que pagar dubladores e demora 1/4 do tempo ou menos. Isso é descaso e preguiça dos governantes.

Enfim “respira fundo”, eu espero viver pra ver o Brasil acessível, mas gente, às vezes parece que a semente plantada não vai brotar nunca. Enquanto isso, continuo levantando a bandeira e mostrando o que tem lá fora, pra ver se ajuda. Segue pra vocês imagens de como são os aparelhos de closed caption em cinemas e teatros.

 

 

0408-v-movies captiview-in-seat

Entertainment_Glasses oculoscc

 

Beijos a todos

🙂

 

 

4 de dezembro de 2013

11 MOTIVOS PELOS QUAIS O IMPLANTE COCLEAR TORNA NOSSAS VIDAS MARAVILHOSAS

Deficiência Auditiva Implante Coclear Informações Inglês Língua Portuguesa Música Oralização Pessoas com Deficiencia Tecnologia Terapia de Fala Treino Auditivo Variadas
Por Diéfani Favareto Piovezan

mot1 – VOCÊ PODE ABAIXAR O VOLUME EM SHOWS COM SOM MUITO ALTO

giphy

2 – VOCÊ TEM BOTÃO PARA DESLIGAR OS OUVIDOS QUANDO SEUS PAIS OU PARCEIROS COMEÇAM A GRITAR

giphy (1)

3 – VOCÊ TEM ORELHAS MUITO FASHION (E QUE PODEM SER ESTILIZADAS)

Denise-456x600

 

Ash-426x600

 

IMG_2600-630x420

 

4 – VOCÊ TEM UM CHIP DE COMPUTADOR NO SEU CRÂNIO

ct1

5 – VOCÊ PODE FAZER TRUQUES DE MÁGICA, GRUDANDO COISAS NO IMÃ

1426725_625409163531_242922482_n

 

bethany-630x472

 

 

Jennifer-630x472

6 – VOCÊ PODE COLOCAR O VOLUME TÃO ALTO QUANTO QUISER E NÃO SE PREOCUPAR EM PERDER AUDIÇÃO OU PERTURBAR OS OUTROS (QUANDO USANDO ALGUM ACESSÓRIO OU TELE COIL LOOP)

giphy (2)
7 – VOCÊ PODE DESLIGAR SEUS OUVIDOS E DORMIR EM PAZ (ESPECIALMENTE EM AVIÕES COM BEBÊS CHORANDO)

giphy (3)

8 – VOCÊ PODE IR À CONVENÇÕES FANTÁSTICAS

giphy (4)

9 – VOCÊ PERTENCE AOS GRUPOS SOCIAIS MAIS LEGAIS DAS REDES (RELACIONADOS AO IMPLANTE COCLEAR) E FAZ ÓTIMOS AMIGOS

giphy (5)

10 – QUANDO VOCÊ FICAR VELHO, NÃO VAI PERDER SUA AUDIÇÃO

giphy (6)

11 – VOCÊ PODE APROVEITAR TODOS OS SONS MARAVILHOSOS AO SEU REDOR

giphy (7)

 

 

Post traduzido de: 11 Reasons Why Cochlear Implants Make You Life Awesome

Beijos a todos 🙂

1 2 3 4 5 6 7 8 14